Vida prática e vida contemplativa

Não há oposição real possível entre vida prática e vida contemplativa, porque a primeira, para ser especificamente humana, dependerá sempre da segunda em algum grau. O que o pragmatismo absoluto propõe é falso, seja na sua proposta ou na sua realidade. Para sermos absolutamente práticos, e eficientes nesta praxis, teríamos que ter um domínio tal da realidade que já não poderíamos ser humanos, pois tal domínio teria que ultrapassar a nossa finitude.

Como isto não é possível, o pragmatismo tem que fazer o ser humano decair; tem que se impor contestando a natureza humana específica, e colocar no lugar dela outra coisa que será o motor central do guiamento pragmático. Um milhão de ídolos podem ser aí aceitos, todos falsos evidentemente. Porque a verdade continua sendo soberana do homem, o nosso Deus continua sendo o mesmo de sempre, e nós continuamos sendo feitos para Ele, como sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s