Não existe boa imprensa sem bons leitores, e não existe boa internet sem bons autores

Umberto Eco

O editorial da revista Época de 29 de junho deste ano (vocês sabem, estou sempre atrasado), intitulado “A imprensa profissional e a máquina de lama”, faz referência ao escritor Umberto Eco, que chama a fofocagem da internet justamente de “máquina de lama”, em comparação com o jornalismo profissional que supostamente faria o serviço de depuração intelectual necessário para a leitura dos fatos através das notícias. A internet seria o reino da boataria geral, reproduzindo assim o que são as conversas de rua, desqualificadas, e o jornalismo seria o trabalho sério e comprometido de tratamento dos fatos.

Vejamos isso.

Por um lado, me parece evidente que idealmente o jornalismo atua como um depurador qualificado das notícias, e um tradutor para o homem comum, intelectualmente medíocre. Esse homem comum, por sua vez, pode ser bastante confundido pela internet, se tomar a palavra escrita em qualquer site por jornalismo neste sentido ideal. Daí que, como diz o próprio Eco, “os jovens lêem o jornal para saber se o que vêem na internet é verdadeiro ou falso”.

Por outro lado, o jornalismo investindo-se de autoridade que interpreta o mundo dos fatos, principalmente da cultura geral e da política, pode se tornar objeto de poder nas mãos de determinados interesses que vão contra o suposto papel de “garantia de democracia, de liberdade”, como também diz Umberto Eco. E nesses casos, ocorre o inverso: para saber como as coisas são, nós vamos para a internet, para ver o que o povo, “as ruas”, estão dizendo.

Ou seja, há um certo conflito interno nesses papéis do jornalismo: há o ideal de honestidade intelectual que o jornalismo representaria, e há a realidade da submissão a interesses estranhos que assolam todo o tempo essa liberdade. O caso do Brasil é muito exemplar. O nível de prostituição das nossas mídias impressas ao poder estatal é escandaloso. A Época faz, assim, ou o papel de idealista da sua própria missão no mundo, ou o papel de hipócrita que finge crer no que não crê nem por um minuto.

Se parece que tudo está desabando, no entanto, há uma cura relativamente simples e fácil: basta lembrarmo-nos de que não existe boa imprensa sem bons leitores, e de que não existe boa internet sem bons autores.

A boa imprensa é aquela que tem seu controle de qualidade verdadeiro e definitivo determinado pelo seu consumo: os leitores, desde que sejam bons nisso, bem educados como leitores, vão simplesmente rejeitar tudo o que não presta na imprensa, especialmente as idéias compradas e registradas pelas penas de aluguel. Não podemos contar com a integridade dos jornalistas. Os leitores é que têm que ser críticos capazes de rejeitar o que não presta e forçar o sistema da imprensa a ser bom e a produzir coisas boas.

E a qualidade da internet, já que ela é livre como o são as pessoas nas ruas, depende diretamente da qualidade de trabalho dos escribas que nela registram suas idéias. Agora mesmo leio na Veja Online que saiu uma estatística: o brasileiro gasta mais com beleza do que com educação. Beleza é fundamental, claro. Mas tudo tem a sua consequência: como povo somos mais belos do que inteligentes. É uma escolha que a população faz. O que importa é que os endereços mais acessados representem a melhor produção dos autores do ambiente virtual. Quanto melhores forem esses autores, maior é a concorrência pela produção e pelo debate, e melhor ficamos nós, consumidores dessas idéias.

Em suma, e como sempre: é a educação que resolve. É a educação (a de verdade, não a do MEC; esqueça o MEC, eles fazem outra coisa) que melhora o jornalismo e a internet, melhorando os leitores e os autores.

Qualquer sentimento de superioridade que os jornalistas tenham que os façam se esquecer de que dependem de fazer sempre um bom trabalho, e realmente independente, levarão à decadência da mídia impressa, e à valorização da internet na sociedade. Até porque os melhores escritores migrarão para a internet, se a mídia impressa se resumir à palhaçada de repassar opiniões recebidas de órgãos superiores.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s